segunda-feira, 17 de maio de 2010

QUEM É DE AXÉ DIZ QUE É !

Passou, e muito,  da hora de quebrarmos as correntes psicológicas que nos prendem a um passado escravista no Brasil. Nos ensinaram a ter vergonha de nós mesmos, de ser o que somos, brasileiros de todas as origens, de todas. A história prova que ninguém tem piedade de quem está com a cabeça abaixada, não se ouve a voz de quem só murmura. 

As estatísticas já justificaram as teocracias e  os estados nacional-socialistas ou fascistas. Devemos dar um basta ao preconceito e a intolerância, disfarçada ou aberta, não é mais aceitável. 

Muito axé e paz para todos nós. 




http://cenbrasil.blogspot.com/2010/03/lancamento-da-campanha-quem-e-de-axe.html

3 comentários:

Edson Bueno de Camargo disse...

Peço o perdão e a gentileza por algumas pessoas por estar politizando um pouco o blogue, mas existem certos assuntos que não podemos nos omitir, por mais ditanciamento que seja necessário, o poeta é parte do mundo que o abriga.

josé geraldo neres disse...

não podemos omitir, distanciar. precisamos ser verdadeiros. qual a razão de ter um brasil que canta aos quatro cantos sua diversidade e na hora de responder um censo: responde com medo. ou fica na dúvida. temos que ser autênticos. axê a todos e todas. sempre.

Gerber disse...

Não creio que seja por dúvida nem tão pouco medo, talvez receio, ou uma não completa liberdade de expressão. em ocasião dos 400 anos de "Don Quixote", uma frase ficou em minha mente e ainda não tenho certeza de ser totalmente libre: "o único homem livre, verdadeiramente livre é o que não tem medo do ridiculo" (Miguel de Cervantes). Se na pesquisa fossem perguntados se são poetas garanto que muitos por aí não afirmariam por medo de serem denominados vagabundos pois essa ainda é a maneira que muitos pensam de quem escreve...!

Gerber de Sá